Notícias

08/10/2014

Seminário na UERJ promove debate em prol da promoção de educação não violenta com a participação de crianças e adolescentes da Fundação Xuxa

Com o tema “Educação sem violência: Reflexões e desafios da Lei 13.010/14”, o VII seminário do curso de Direito Especial da Criança e do Adolescente (DECA) da UERJ reuniu, no último dia 3 de outubro, especialistas da área de direitos infantojuvenis, estudantes universitários e crianças e jovens da Fundação Xuxa para debaterem as maneiras de educar sem bater.
O evento coordenado e organizado por professores e alunos do curso de Direito da UERJ e por integrantes da ‘Rede Não Bata, Eduque’ levantou questionamentos da importância da inserção de práticas que levem a sociedade a pensar e agir uma educação livre de castigos físicos e humilhantes.
O encontro foi realizado com a presença de advogados que atuam na área infantojuvenil, especialistas no âmbito da saúde e coordenadores de projetos institucionais que complementaram mesas de debate com foco na implementação da Lei 13.010/14 – batizada de Lei do menino Bernardo – na promoção e garantia dos direitos infantojuvenis. Além da inédita interação de uma mesa composta por crianças e adolescentes do Projeto Rede +Criança e de Incidência Política da Fundação Xuxa Meneghel para inserirem a voz e a vez dos mesmos na sociedade.
A efetivação da lei foi um dos assuntos mais abordados durante o seminário, pois denota o valor de anos de trabalho em rede, campanhas de mobilização social e incidência política para inserir a cultura de uma educação sem violência em todos os espaços de convivência da criança e adolescente.
A Secretária Nacional de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente e ex Diretora da Fundação, Angelica Moura Goulart, destacou que o principal desafio da implementação da lei é que os agentes da sociedade entendam a verdadeira importância da mesma.
“A lei lida com o direito da criança ser educada e criada sem o uso de castigos físicos ou humilhantes, e não de punir o agressor.”, enfatizou Angelica.
Para fomentar a inclusão e aplicação da lei no cotidiano de crianças e adolescentes, a Rede Nacional ‘Não Bata, Eduque’ desenvolve ações para estimular a promoção de uma convivência familiar e comunitária digna e sem violência infantil. O foco do trabalho da Rede é a incorporação do diálogo como principal ferramenta de educação entre adultos, cuidadores e educadores com as crianças, adolescentes e jovens, como contou a Coordenadora da Campanha Nacional da Rede, Marcia Oliveira.
“O diálogo é uma ferramenta poderosa no estabelecimento de limites, disciplina e autonomia. Incentivar essa prática dentro de casa ou em qualquer outro ambiente contribuirá não só para o desenvolvimento cognitivo, mas também para o amadurecimento, o estabelecimento de relações mais harmoniosas e a capacidade de argumentação.”
E com o objetivo de manter viva a participação dos principais interessados na implementação de ações que incluam cada vez mais as crianças e adolescentes na sociedade, Ana Izabel, representante do Projeto Rede+Criança da Fundação Xuxa, contou como foi mostrar a importância do trabalho na instituição.
“Gostei muito de estar lá. Esse trabalho é importante pra gente, porque o projeto fala que as crianças precisam ter voz e nós fomos lá para mostrar que a gente tem voz.”, falou Ana.