Notícias

23/08/2016

De Jovem Pra Jovem avança para outros estados com incentivo da Fundação Xuxa Meneghel e Rede “Não Bata, Eduque!”

Mobilizar pessoas para lutarem pelos seus direitos é algo importante para quem quer mudar a realidade da sociedade. Crianças, adolescentes e jovens tem seu direito à participação garantido, quando conseguem seu espaço de fala. E foi por isso que Tiago Silva e Vitória Luiza Pereira, integrantes do projeto de Incidência Política da Fundação Xuxa, viajaram até Santa Catarina para sensibilizar a juventude de lá com a metodologia da Rede “Não Bata, Eduque!”.

O propósito era único: trabalhar as formas de incidir a prevenção de violências contra a infância e adolescência e difundir uma cultura de paz. Entre os dias 15 e 18 de agosto, a equipe da Rede esteve nos municípios de Forquilhinha e Siderópolis, SC, para realizar diversas atividades de replicação das ações realizadas em rodas de diálogo e fóruns com o projeto “De Jovem Pra Jovem”.

Tiago e Vitória Luiza, juntamente às Coordenadoras do Programa de Redes e Incidência Política da Fundação Xuxa, Ana Paula Rodrigues, e da Campanha Nacional da RNBE, Marcia Oliveira, promoveram encontros, dinâmicas e oficinas no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) local. A ideia foi difundir a prática da não-violência entre os diferentes públicos da cidade natal de Zilda Arns, pediatra e militante da causa dos direitos infantojuvenis.

No dia 16, cerca de 30 meninos e meninas de 11 a 17 anos se reuniram no gramado do Parque Ecológico, localizado ao lado do CRAS, para participar de uma atividade de avaliação mediada pelos adolescentes da Fundação e também bolsistas da RNBE. O mesmo grupo, no decorrer do dia, ainda se empenhou na construção de projetos de replicação da metodologia que impulsionará o desenvolvimento de novos multiplicadores da Rede nas duas cidades parceiras da RNBE.

Além de conduzirem a oficina de formação das rodas de diálogo com os adolescentes dos dois municípios, Tiago e Vitória cobriram as ações realizadas com vídeos, fotos e entrevistas. As técnicas utilizadas na captura desses registros foram aprendidas no projeto de Educomunicação promovido pela instituição.

“Para mim foi legal aplicar o projeto De Jovem Pra Jovem em Santa Catarina. Uma mega experiência, porque capacitamos mais jovens para o projeto. Fiquei muito feliz por eles abraçarem essa causa e estarem engajadas promovendo a participação”, conta a adolescente liderança, Vitória Luiza.

Já nos últimos dias de ações, a equipe RNBE e os adolescentes de Forquilhinha e Siderópolis vivenciaram uma Roda de Diálogo com um grupo de idosos e no Clube de Mães. E ainda teve um bate-papo avaliativo para fechar o ciclo de quatro dias de muita incidência e mobilização.

“Para a RNBE, as parcerias com os CRAS de Forquilhinha e Siderópolis, para a replicação da metodologia das rodas de diálogo, são um enorme avanço para a ampliação da participação de adolescentes e jovens na mobilização por uma educação sem violência. Para que a metodologia funcione é fundamental o apoio de adultos para a interlocução com os espaços para a realização das rodas como escolas, clubes de mães, organizações não governamentais, grupos religiosos, etc.”, relata Marcia Oliveira, Coordenadora da Campanha Nacional da Rede “Não Bata, Eduque!”.